Início Desporto Jogador do Benfica a caminho de Inglaterra

Jogador do Benfica a caminho de Inglaterra

193
0
COMPARTILHE

O guarda-redes Mile Svilar e os médios Ljubomir Fejsa e Andrija Zivkovic ficaram fora da convocatória para a Supertaça, têm pouco espaço no plantel e o seu futuro deverá passar pela saída.

Os mais jovens por empréstimo e Fejsa pode mesmo sair em definitivo.

Vários clubes ingleses, entre os quais alguns do Championship, estão na corrida por Zivkovic e a saída do extremo sérvio poderá estar para breve.

Segundo jornal O Jogo, o empresário do jogador e o próprio clube estão a envidar esforços para que a cedência se concretize o mais rapidamente possível.

Aliás, o mercado em Inglaterra encerra amanhã e os responsáveis do emblema da Luz acreditam que o camisola 17 seja transferido ainda durante este período.

Zivkovic teve o seu momento na Luz, que coincidiu com a liderança de Rui Vitória, mas foi perdendo espaço com Bruno Lage e, nesta altura, não cabe na matriz do treinador.

A saída do jogador, que tem contrato até 2021 e uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros, parece ser inevitável.

O extremo não joga e tem um ordenado elevado, um dos mais altos do plantel, pelo que a sua continuidade está comprometida.

Na lista de dispensas desde o arranque da temporada – cumpre a quarta época de águia ao peito -, jogou alguns minutos nesta fase de preparação da época, mas no primeiro jogo oficial, para a Supertaça, foi excluído do lote dos eleitos.

De resto, desde que Lage assumiu o comando técnico das águias, Zivkovic apenas foi titular em três ocasiões em jogos oficiais, frente ao Santa Clara, V. Guimarães e Dínamo Zagreb.

A melhor temporada na Luz, foi em 2017/18. Nessa altura, participou em 30 partidas (2059″), 21 das quais para o campeonato, tendo sido titular 17 vezes. Além disso, apontou três golos.

Estes números contrastam claramente com os da época passada, sobretudo após a chegada do técnico campeão nacional.

Após alguma resistência inicial, Zivkovic demonstra disponibilidade para sair, até porque tem consciência de que nesta fase da sua carreira necessita de jogar com frequência para atingir outros patamares mais altos e continuar a marcar presença na sua seleção.

COMPARTILHE