MundoNoticias

Relato desesperante de mulher que perdeu a filha e o marido na Ucrânia: “Se tivesse uma oportunidade para matar Putin, matava-o”

Antes do dia 24 de fevereiro, Viktoria vivia uma vida perfeitamente normal, na cidade de Chernihiv, com o marido, Petro, uma filha de 12 anos de um casamento anterior, Veronika, e uma bebé de um ano, Varvara, nascida do relacionamento atual. Depois do dia em que os russos decidiram invadir a Ucrânia, a vida de Viktoria mudou completamente e nunca voltará a ser o que era.

Nove dias depois da guerra começar, a família de Viktoria decidiu fugir da Ucrânia, para procurarem um sítio seguro para criarem as filhas. No entanto, o que Viktoria viveu nas semanas seguintes é inimaginável.

Durante a fuga da cidade, deu tudo errado. Surpreendidos pelos russos, Petro saiu do carro para ver o que se passava e gritou para elas correrem. Ele foi assassinado, Veronika tropeçou e foi apanhada numa explosão. “Quando olhei para trás, ela tinha perdido a cabeça. Tentei manter a calma porque tinha O bebé nos braços e precisava de chegar a um sítio seguro”, recorda Viktoria em declarações à jornalista Anna Foster, da BBC.

No entanto, a fuga de Viktoria foi curta e foi apanhada pelos russos, que a levaram para um cativeiro, onde ficou com a bebé durante 24 dias. Fechada num espaço pequeno, com cerca de 40 pessoas, sem quaisquer condições.

Durante esses dias, Viktoria chorou a morte do marido e da filha, enquanto via outras pessoas morrerem, sem quaisquer cuidados básicos. Atualmente, Viktoria está em Lviv, em segurança e acompanhada por um psicólogo.

“Quando estou com pessoas, quando faço algo e comunico, esqueço o que aconteceu. Mas quando estou sozinha, fico perdida”, lamenta esta mulher, que jamais esquecerá estas semanas de invasão russa. Por isso, não tem dúvidas em afirmar: “Se tivesse uma oportunidade para matar Putin, matava-o”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo